Pesquisa Científica

O campo da pesquisa científica se estabelece como sendo um processo de estudo que estabelece a descoberta de novos conhecimentos em determinadas áreas.

A atividade de pesquisa científica é muito comum no meio acadêmico, porque pode proporcionar aos acadêmicos um contato extraclasse com determinadas disciplinas de estudo, além de possibilitar aprofundamento de conhecimento estreitando os laços da academia com a pesquisa.

O fundamento do campo da pesquisa científica vai sempre ser embasado em metodologias de investigação para solucionar problemas específicos. O fruto de uma pesquisa científica sempre deve servir para uso da comunidade científica e oferecer relevância para o interesse social, portanto, os resultados novos precisam ser relevantes.

Dentre os diversos tipos de pesquisa científica, podemos citar a quantitativa que vai trabalhar com estatísticas para quantificar o produto de estudo, e a qualitativa que vai ter um fundamento mais descritivo explorando de uma forma mais subjetiva o produto de estudo.

No geral, o campo da pesquisa científica pode ser classificado em exploratória, descritiva e explicativa. Na pesquisa exploratória, o pesquisador ou pesquisadora vai precisar distender uma aproximação maior com o objeto de estudo. Assim, podemos dizer que as pesquisas com cunhos antropológicos utilizam muito a metodologia exploratória porque se produz com contato com o campo de pesquisa intrinsecamente. Já as pesquisas descritivas, vão se fazer valer através do apoio de dados de coleta e observação sistemática, é meio muito objetivo de estudo. Por fim, a pesquisa explicativa vai ser uma metodologia que busca compreender os meios que possibilitam fenômenos existentes.

pesquisa cientifica 2.jpg

O campo da pesquisa científica na academia

Na academia universitária, existem muitas possibilidades de contato com o campo da pesquisa científica e esse contato é possível, através da iniciação científica. Na iniciação científica, o estudante tem a possibilidade de estudar um objeto de estudo proposto pela instituição na área que ele estuda. Geralmente, a seleção de estudantes para a iniciação é através de editais e processos seletivos.

Na iniciação à pesquisa, o estudante recebe um auxílio para poder fazer a manutenção de estudo, ou seja, é uma bolsa de estudo remunerada que vai permitir que o estudante dedique-se e arque com as despesas da pesquisa. Um exemplo desse tipo de bolsas são as bolsas que advêm do CNPq, pertencente ao Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, que oferece inúmeros programas dentre os quais o PIBIC ou Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Cientifica, que acaba servindo de base para instituições de estudo promoverem políticas de iniciação científica nas mais diversas áreas dos saberes.

Através desse tipo de incentivo, o estudante tem a possibilidade de conhecer a área de estudo que ele está inserido com maior aprofundamento, estreitando os laços com o campo da pesquisa científica, ou seja, permitindo que ele desenvolva experiência científica antes mesmo da sua formação acadêmica.

Perfil do profissional do campo da pesquisa científica

O perfil do pesquisador da pesquisa científica é muito diversificado porque quando falamos em pesquisa científica, podemos estar falando das mais diversas áreas de saberes, desde ciências exatas à ciências humanas, portanto, de antemão, o público é muito diversificado. Agora, em relação ao perfil profissional do pesquisador científico, existem alguns parâmetros que podem os enquadrar em categorias semelhantes.

Como se trata de pesquisa, o profissional do campo da pesquisa científica vai precisar estar disposto a ter calma para colher os frutos do seu trabalho. Portanto, o perfil do pesquisador vai ser moldado a partir da investigação, e em uma investigação, é essencial que se conheça diferentes metodologias, e bibliografias relacionadas ao objeto de estudo, e isso requer paciência e tempo, para que as leituras sejam úteis e possibilitem buscar uma problemática ao pesquisador. Além disso, é uma responsabilidade essencial ao pesquisador conseguir alçar a integração social da sua pesquisa científica, para que todo o estudo promova um conhecimento de fato útil para a sociedade em si e não apenas para a comunidade acadêmica.

Como em todas as áreas, o papel da mulher no campo da pesquisa científica já foi em quantidade, devido a causas sociais, porém houve um crescimento intenso de cientistas mulheres no Brasil. Segundo o relatório Gender in the Global Research Landscape, as autoras de pesquisa científica hoje soam 49% equiparando com a quantidade de pesquisadores do gênero masculino, ou seja, hoje podemos dizer com toda a certeza que a pesquisa científica é uma área sem gênero, sem seleção.

Além disso, o campo da pesquisa científica pode ser multidisciplinar, porque ela pode ser abordada nos mais diversos campos, seja nas engenharias ou licenciaturas, bacharel ou licenciado, em qualquer campo é possível produzir a pesquisa científica, afinal de contas, a ciência sempre está em aprofundamento, se moldando com influência de novas informações, de novos estudos ou até mesmo das mudanças sociais que ocorrem diariamente.

 

Publicado por

nemrudenemdelicada

Revista virtual para mulheres nem rudes, nem delicadas, que querem ler sobre assuntos diversos sem estar preso em um site definido para homens ou mulheres. Um canal de informação sem gênero.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: